Minha Experiência com Epiduo 2.0

A minha primeira experiência com esse medicamento ocorreu há pouco menos de um ano e meio, e confesso: não foi das melhores.

Coceira, vermelhidão e muito arrependimento era o que tinha de sobra em minha face.

Bem, ele foi a primeira tentativa em lidar com a minha acne naquela época, mas muitos medicamentos depois, acabei parando na Isotretinoína (muito falada aqui, aqui e aqui). O fim do tratamento ocorreu em 7 de setembro, e, em minha última visita à dermatologista, adivinha o que me foi recomendado?  Ele, o temido Epiduo Gel.

Confesso que não entendi a recomendação, já que reclamei terrivelmente dos efeitos colaterais bem no início do tratamento. Como poderia ser diferente agora?

Mas não é que foi?

A primeira coisa que mudou: quantidade. Uma gotinha mínima para todo o rosto e concentrando nas áreas mais afetadas ou com maior tendência a desenvolver acne.

Segunda, a frequência. Nada de ‘noites alternadas’, mas sim 3 vezes na semana, no máximo!

Terceira, e essa não é nenhuma novidade, MUITO óleo de coco! Ele é ótimo para ‘amortecer’ o efeito do Epiduo e ainda ajuda na hidratação e recuperação da pele. Acredite, faz toda a diferença.

O resultado no outro dia já é bem visível: pele com tom mais homogêneo, textura mais fina e, caso tenha algum cravinho ou espinha, já ficam mais discretos e menos inflamados. Dá até pra entender porque os dermatologistas recomendam tanto esse medicamento.

Pra que tudo dê certo, sempre tento seguir a mesma rotina:

  1. Removo qualquer maquiagem que possa estar usando no dia com algum demaquilante bifásico e, após, faço uso de alguma água micelar para remover o excesso.
  2. Depois faço a limpeza com um sabonete líquido cremoso suave.
  3. Venho com o meu queridinho óleo de coco e aplico em abundância, massageando bem.
  4. À noite, deposito uma quantidade mínima de Epiduo Gel nos dedos de aproximadamente 3 milímetros de diâmetro e espalho por todo o rosto, evitando a região sensível ao redor do nariz e dos lábios.
  5. No dia seguinte, lavo bem com o mesmo sabonete líquido e aplico muito protetor solar.

Não nego que, às vezes, o meu rosto fica levemente sensível em alguns locais, mas desaparece antes mesmo das 9h da manhã e não tenho mais coceiras ou vermelhidões me importunando durante dias e noites sem fim. Os resultados são ótimos e minha pele está começando a ficar como eu sempre imaginei.

Valeu dar uma segunda chance.

20 thoughts on “Minha Experiência com Epiduo 2.0

    1. Oi, Igor!

      Eu sempre passo antes. Massageio bem o óleo por todo o rosto e depois aplico o Epiduo.
      Assim ele não agride tanto a sua pele. E não se preocupe, mesmo com o óleo ele fará efeito.

      Só se lembre de não aplicar o Epiduo em excesso.

    1. Oi, Lara!
      Então, eu inclui o Epiduo em meus cuidados faciais permanentes.
      Lavo, tonifico, hidrato e o aplico 3x na semana (somente à noite, claro) .
      Mesmo quando não tenho espinhas ou cravos, eu percebo que o efeito dele é bem rejuvenescedor.

  1. Eu estou fazendo o tratamento com Epiduo, e uso todo dia e não tenho problemas com irritações, no momento da aplicação acontece uma pequena pinicação, que eu trato usando água termal antes de passar o gel… Sendo a rotina: Retirar a make, lavar o rosto, passar tônico sem álcool, aplicar água termal e depois o Epiduo

  2. Recentemente comecei a usar o epiduo gel e confesso que me assustei um pouco com os resultados, apos o terceiro dia de uso, minha pele começou a queimar a ponto de incomodar, depois começou a escamar, ai comecei a ler alguns posts na internet e descobri que estava usando mais que o necessário e também em regiões que não deveria . Agora estou preocupada pq sinto que envelheci uns 10 anos rs … Apareceram muitas “rugas” na área dos olhos, será que com o tempo elas vão desaparecer?

    1. Oi, Sara!

      O Epiduo assusta mesmo, viu? Mas sua pele irá se acostumar.
      Essas ‘rugas’ que você disse, você sente elas repuxarem ao sorrir, por exemplo?
      Se sim, deve ser a camada mais exterior da sua pele querendo descamar. Ela fica mais durinha, avermelhada e não responde bem ao hidratante facial?
      Se sim, eu tive esse problema também. Mas logo a pele irá descamar e afinar.

      Lembre-se do protetor solar, viu? Boa sorte com seu tratamento!

    1. Oi, Regina!

      Minha pele é mista (bem oleosa na zona T e normal nas bochechas).
      Eu amo usar o óleo de coco. Sinto que suaviza os efeitos do Epiduo e no outro dia eu o removo totalmente com sabonete líquido.
      Nunca senti que ele piorou a situação da oleosidade, até acho que ele ajuda a pele a normalizar um pouco o excesso.
      Faz um teste! Algumas marcas vendem o óleo de coco puro em sachê e sai super baratinho. Se não der certo, você não irá desperdiçar tanto.

      Abraços!

  3. Olá
    A dermatologista me receitou EFFACLER pra lavar o rosto ele controla a oleosidade e depois usar o Epiduo gel!
    Minha dúvida é.
    Como preciso controlar a oleosidade, Posso usar mesmo assim o óleo de Côco?
    Não vai fica oleoso meu rosto?
    Agradeço seu retorno.

    1. Oi, Aline!

      Então, não sou especialista na área, mas vou compartilhar minha experiência: eu também usei apenas o sabonete líquido receitado pela dermatologista e o Epiduo em seguida. Só com esses dois produtos eu senti a minha pele muito sensibilizada e levemente agredida. Senti falta de algum tipo de hidratante ou umectante, sabe? Mesmo a nossa pele sendo oleosa, ela precisa de hidratação também. Caso você esteja com receio, peça para a sua médica receitar um hidratante para o seu tratamento, principalmente se você sentir vermelhidão e coceira com o Epiduo no começo.

      Boa sorte e bom tratamento!

    2. Olá. Já li que óleo de coco inclusive controla a oleosidade da pele e pode ser usado como demaquilante. Dê uma pesquisada nisso. Beijinhos

    1. Oi, Ana Paula!

      As manchinhas que eu sempre tinha eram aquelas avermelhadas, sabe? Quando parece que a espinha, mesmo depois de desinflamar, ainda fica visível por muito tempo.
      E elas saíram todas com o tratamento.

      Manchinhas mais escurecidas/amarronzadas eu nunca tive. Não sei dizer qual a real eficiência do Epiduo nesses casos.
      Espero ter te ajudado! Abraços.

    1. Oi, Danilo!
      Eu aplico nessa ordem mesmo: óleo de coco e depois Epiduo. Não gosto de passar o óleo de coco depois por medo de acabar espalhando o Epiduo em locais que possam estar sensíveis ou sem a necessidade da ação do ácido.
      Mas creio que a ordem não influencie tanto no resultado.

      Espero ter lhe ajudado.

Comente aqui!